Responder al tema  [ 1 mensaje ] 
Portugal admite problemas das Forças Armadas 
Autor Mensaje
Administrador
Avatar de Usuario

Registrado: 04 Nov 2007 01:49
Mensajes: 3647
Ubicación: La Línea de la Concepción (Cadíz, Andalucía, IBERIA)
Nota Portugal admite problemas das Forças Armadas
Chefe do Estado-Maior General admite problemas das Forças Armadas

Imagen
O general Valença Pinto diz que há assuntos em resolução e outros pendentes


O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) admitiu hoje que existem problemas nas Forças Armadas, mas alegou que são situações antigas e que têm de ser compreendidas no quadro geral de dificuldades do país.

“Tenho necessariamente de reconhecer que há, como certamente em todas as diferentes instâncias do país, problemas e dificuldades e coisas que têm de ser resolvidas”, afirmou o general Valença Pinto, à margem da rendição do comandante operacional dos Açores.

O antigo chefe do Estado-Maior do Exército general Loureiro dos Santos alertou no sábado, num artigo de opinião no PÚBLICO, para situações de “injustiça” e considerou que esta conjuntura pode levar a atitudes mais “irreflectidas” por parte de militares mais jovens.

No seu artigo, estabeleceu um paralelo entre os actuais “sinais preocupantes” que se vivem no meio militar e o 25 de Novembro de 1975. Para Loureiro dos Santos, “as questões essenciais – o sistema remuneratório, o pagamento de pensões e a questão do apoio de saúde [aos militares] não têm sido resolvidas” pelo Governo de José Sócrates, embora reconheça alguns progressos.

Situações de há dez anos

Hoje nos Açores, Valença Pinto adiantou que em causa estão situações de “há dez anos e que não vêm do passado mais recente”, e que as chefias militares, como “única entidade autorizada e institucionalmente responsável no quadro do Estado”, estão a analisá-las com o poder político.

“Algumas coisas têm vindo a ser resolvidas e minoradas, outras estão a ser trabalhadas e outras estão, necessariamente, ainda pendentes”, salientou Valença Pinto.

Afirmou, ainda, que se trata de um processo que tem de ser “vivido com a absoluta compreensão do quadro geral de dificuldades que o país tem e sem nenhuma perspectiva perversa do tipo corporativo”.

“Não há que lutar por privilégios, há, apenas e só, que reconhecer que algumas coisas têm de ser corrigidas e que algumas singularidades que decorrem da condição militar têm de ser atendidas”, disse.

O general Valença Pinto realçou, ainda, que “Portugal é uma democracia madura”.


Noticia sacada por Público: http://ultimahora.publico.clix.pt/notic ... id=1348291

_________________
Imagen
¡VIVA IBERIA! Futura unión de España, Portugal, Andorra, Gibraltar, Rosellón e Iparralde.
¡VIVA LOS SAHARA, RIF, ESCOCIA, IRLANDA, PALESTINA Y KURDISTÁN LIBRES E INDEPENDIENTES!


01 Nov 2008 17:26
Perfil
Mostrar mensajes previos:  Ordenar por  
Responder al tema   [ 1 mensaje ] 

¿Quién está conectado?

Usuarios navegando por este Foro: No hay usuarios registrados visitando el Foro y 0 invitados


No puede abrir nuevos temas en este Foro
No puede responder a temas en este Foro
No puede editar sus mensajes en este Foro
No puede borrar sus mensajes en este Foro
No puede enviar adjuntos en este Foro

Buscar:
cron
Powered by phpBB © 2000, 2002, 2005, 2007 phpBB Group
Forum style by ST Software.
Traducción al español por Huan Manwë para phpbb-es.com
phpBB SEO
Crear Foro | Subir Foto | Condiciones de Uso | Política de privacidad | Denuncie el foro